O controle da vegetação com potencial de dano à rede de transmissão de energia elétrica é realizado com aplicação localizada de herbicidas registrados para tal finalidade mediante três técnicas amplamente estudadas:

A primeira modalidade é a aplicação foliar do herbicida. Esta aplicação é realizada para o controle de plantas-alvo que ainda apresentam altura máxima de 1,5 metros e grande área foliar, e em rebrotas de troncos cortados.

O controle com aplicação basal é utilizado em árvores com Diâmetro à Altura do Peito (DAP) inferior a 5,0 cm e consiste na pulverização do herbicida diluído em solvente orgânico (padronizado) nos primeiros 50 cm de troco a partir do solo. O herbicida é aplicado com pulverizador devidamente regulado em todo o entorno do caule para que haja máxima absorção do produto, evitando ao máximo o escorrimento da calda.

Em plantas com maiores DAP (superior a 5 cm), a aplicação em toco e o raqueamento, são técnicas mais eficazes. A aplicação no toco consiste no corte do caule principal da planta próximo ao limite do solo, com posterior pulverização de herbicida. Uma variação desta técnica é a chamada raqueamento, onde é cortada uma faixa de casca da planta ao redor do tronco e aplica o herbicida somente na região exposta.